Tagged: transporte Toggle Comment Threads | Atalhos de teclado

  • Vinicius Massuchetto 17:17 on 23 October, 2011 Permalink |
    Tags: , , , , , , , transporte   

    Repercussão da Bicicletada Extra: “Por Uma Ciclofaixa de Verdade” 

    Foto: Elton Damasio/Agência de Notícias Gazeta do Povo

    Parabéns a todos que compareceram e ajudaram a construir esta crítica pacífica, bem humorada e politizada. A mobilização reuniu cerca de 300 ciclistas, reforçou oficialmente a atenção do poder público em relação ao movimento, e só foi possível graças à divulgação feita por todos.

    “Ciclofaixa! Todo dia!”

    Grande Mídia

    Fotografias

    Blogs

    E você? Fez fotos, vídeos ou viu a repercussão em algum outro lugar?
    Deixe um comentário!

     
    • Ricardo 18:57 on 23 Outubro, 2011 Permalink | Inicie a sessão para responder

      E agora?
      Ando pela esquerda pela ciclofarsa, ou pela direita? Já que, fora dos horários e datas estipulados pela prefeitura, a ciclofarsa, se torna uma faixa normal de trânsito.
      Pedalar pelas ruas centrais de Curitiba, ficou mais perigoso agora.

    • Rogério Guiraud 12:49 on 24 Outubro, 2011 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Parabéns a todos os participantes da bicicletada pelo gesto consciente diante do poder público viciado em ‘agradablidades’ e atitudes eleitoreiras.

      A Bicicletada, que foi iniciada pela piazada do Coletivo INTERLUX, foi ‘ocupada’ pelos bicicleteiros curtibanos expandindo-se, como a boa atitude de arte conceitual propicia.

      Eu moro no Sítio Cercado, isto é, no exterior da Curitiba burguesa do centro, por isso espero que a atitude de maturidade política dos bicicleteiros, por enquanto, do centro da cidade, contamine os curitibanos das periferias que não tem áreas de lazer, nunca terão ciclovias, segurança, boas escolas, atendimento médico de qualidade, calçadas e outras coisas básicas que a prefeitura ignora e ignorará enquanto aceitarmos ser enganados!

      Esta atitude de protesto tem a dimensão histórica da “hora certa”…e aponta mais sujeira que deve ser varrida, do mesmo jeito que pretendemos varrer corrutos, pois estes corrompem não só com dinheiro do Estado e das empresas, mas também, ao retirar aquilo que todos tem o direito de ter ao morar numa cidade, Estado e Nação.

      E isso tem que acontecer. agora, enquanto vivemos e tem que ser a nossa herança para o futuro!

      Quem se diz competente está afirmando algo que não precisa ser dito, desde que seja verdade.

    • patrickbelem 17:08 on 24 Outubro, 2011 Permalink | Inicie a sessão para responder

    • Marina Rodrigues 18:07 on 24 Outubro, 2011 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Amei que tivemos toda essa repercução!!!! É isso aí! Gerando frutos!!!
      Gente, uma outra forma de protestar (por qqer coisa) é acessando o site: http://www.central156.org.br/ e clicar em ‘criar solicitação’ no canto superior esquerdo!
      Eu escrevi o seguinte:
      “Gostei da idéia da CICLOFAIXA aos domingos, mas têm questões muito importantes que deixaram de ser levadas em consideração.A primeira é uma dica de ciclista: Já que Curitiba possui o sistema binário para facilidade dos carros, por que então não usam as faixas de carros nas canaletas para implantarem as CICLOFAIXAS? Assim os pedestres e ciclistas ficarão muito mais seguros e os carros não serão atrapalhados! Com a proposta de inicialmente funcionar apenas aos domingos, os gastos serão praticamente com placas para dizer que “aos domingos as vias serão fechadas para carros” sem pinturas, tantos cones ou pessoal, e ainda podem-se usar os próprios sinaleiros! Mais vantagens! Elas praticamente cortam a cidade e ligam aos parques (Botânico, Passeio Público, Barigui, Bacacheri…) E aprefeitura poderá usar o dinheiro destinado para arrumar as ciclovias existentes que precisam URGENTE de manutenção! Sabem, bicicleta deve ser encarada como MODAL de transporte, não “LAZER”!!! Usem-na e verão por que insisto, a vida fica tão mais bonita e barata…”

    • chicorasia 22:31 on 24 Outubro, 2011 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Movimento político, sim, com muito orgulho. Pois quando o governo municipal está alheio às demandas dos cidadãos, quando os sistemas de ouvidoria do poder público não respondem às solicitações, só nos resta uma forma de se fazer ouvir: ir para a rua e gritar, a ação política mínima, o mais simples, essencial e inalienável direito.
      (E se a corja reaça se indigna, se acha que usar a palavra “política” é uma forma de desqualificar um movimento popular, bem, nisso não há surpresa. Pois a essa elite retrógrada, que criminaliza os movimentos sociais e tenta dissociar a política da vida cotidiana, de maneira nenhuma interessa o fortalecimento das instituições democráticas.)

    • Walter 17:01 on 25 Outubro, 2011 Permalink | Inicie a sessão para responder

      http://www.fabiocampana.com.br/2011/10/bicicletada-quer-primavera-arabe-em-curitiba/
      “Sobrou para alguns dos ciclistas que o acompanharam até o final as palavras de ordem na frente da casa do prefeito: “Gustavo, Gustavo…”.”

    • Vanildo 17:54 on 25 Outubro, 2011 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Minha ideia é que todo domingo ocupemos a ciclofake, desculpe, ciclofaixa. Nós cidadãos somos os verdadeiros donos da cidade, mesmo que este direito nos seja sistematicamente tolidos.

  • fabs balvedi 08:54 on 21 September, 2009 Permalink |
    Tags: , , transporte   

    Desafio Intermodal Sampa: bike supera até o helicóptero 

    Notícia de hoje no Bom Dia Brasil:

    Bicicleta vence desafio de transportes em São Paulo

    Quem escolheu a opção mais ecológica poluiu menos e chegou antes.
    […]
    O vencedor até que já era esperado: deu bicicleta de novo. Mas o que não se esperava é que o helicóptero ficasse para trás. E que até o patinete chegasse antes do carro.
    […]

    Assista a reportagem completa aqui.

     
  • Luis Patricio 11:20 on 18 September, 2009 Permalink |
    Tags: , , , transporte   

    1º Desafio Intermodal de Maringá 

    Mais uma cidade no Paraná realizando o Desafio Intermodal.

    O resultado obtido em Maringá ontem foi o mesmo atingido em São Paulo e em outras cidades brasileiras: a bicicleta é o meio de transporte mais rápido para deslocamento nas cidades. Leia mais

     Vídeo na Paraná TV

     
  • Peters 12:50 on 2 April, 2009 Permalink |
    Tags: , ferrovia; contorno ferroviário, , , transporte   

    Contorno Ferroviário na APA do Passaúna? 

    Clique na figura para aumentar: 

    Folha de Santa Felicidade, ed. 235, mar 2009 p. 2
    Folha de Santa Felicidade, ed. 235, mar 2009 p. 2

    Sobre Ciclovias e linhas de trem em Curitiba.

     
    • anita legname 20:44 on 9 Abril, 2009 Permalink | Inicie a sessão para responder

      É desanimador ler noticias como essas! A pressão da ocupação urbana se extende e a prórprias autoridades que defendem o meio-ambiente devem ficar sem muitas opções, que dizer dos cidadãos.

      anita

  • Luis Patricio 07:25 on 6 October, 2008 Permalink |
    Tags: aluguel, , ciclável, moda, , requisitos, transporte   

    Aluguel de Bicicletas 

    Ultimamente virou moda o sistema de aluguel de bicicletas que ficou famoso em Paris – Vélib. Ele foi replicado em algumas cidades como Smartbike Washington D.C., bicing BarcelonaVelodi Dijon entre outros.

    Entretanto aconteceram alguns casos mal sucedidos. O mais conhecido é Bruxelas. Aparentemente, os principais motivos do fracasso são a implantação do sistema sem se preocupar com a realidade local e a falta de investimentos paralelos que incentivem essa prática.

    Caso Curitiba embarque nessa onda, aqui vão algumas dicas para evitar o desperdício do dinheiro público.

    • Localização adequada

    As estações precisam ser cuidadosamente planejadas. As pessoas precisam retirar e devolver as bicicletas em locais que estejam muito próximos aos prováveis destinos finais e próximos também a pontos e terminais de ônibus. Não adianta nada se o usuário tiver que deixar a bicicleta numa estação e caminhar várias quadras até o destino. Alguns anos atrás, foram instalados seis bicicletários que nunca foram utilizados apesar de já terem sido feitas algumas licitações. Um exemplo claro de mau planejamento. Será que a empresa encarregada está mais preparada dessa vez?

    Obstáculos

    Obstáculos

    • Rotas seguras

    Curitiba possui uma infra-estrutura precária de ciclovias que possuem fluxo intenso de pedestres além de inúmeros obstáculos como postes, lixeiras e orelhões.  Não há tratamento nos cruzamentos e a sinalização cicloviária também deixa muito a desejar. Atualmente muitas pessoas já possuem bicicleta e não pedalam. Disponibilizar bicicletas públicas sem investimentos paralelos é um tiro no pé.

    • Preço acessível

    Quanto você estaria disposto a pagar para se deslocar dois quilômetros? Muitas pessoas percorrem essa distância a pé, sem complicação e de graça. Os ônibus podem percorrer muito mais que isso por menos de dois reais.

    O sistema só compensa se for vantajoso e tiver  um preço atraente em relação a outras formas de deslocamento. Como por exemplo, em rotas que não são cobertas pelos ônibus. A maioria dos sistemas implantados pelo mundo tem um período inicial gratuito. Em Paris por exemplo, você pode rodar meia hora sem pagar nada. Em São Paulo onde começou a ser utilizado algo parecido recentemente, o alto custo é apontado com um dos grandes empecilhos.

    • Modelo da bicicleta
    Bicicleta com cesta e pára-lamas

    Bicicleta com cesta e pára-lamas

    Além da manutenção constante e da preocupação com o tamanho adequado; bagageiros, cestas, pára-lamas, protetores de corrente e campainhas são itens indispensáveis para que o usuário possa pedalar com conforto (infelizmente muitos desses itens não são facilmente encontrados em modelos brasileiros).

    Também é preciso avaliar se as estações estarão em zonas com ladeiras para disponibilizar bicicletas com marchas que permitam vencê-las sem muito esforço.


    Mesmo preenchendo todos os requistos acima, é preciso ainda avaliar demais alternativas. Talvez fosse mais viável e fácil investir na instalação de bicicletários e/ou criar uma integração com o sistema público de transporte que até hoje inexiste em Curitiba.

    Você usaria as bicicletas públicas? O que acha das alternativas?

     
    • Gunnar 09:22 on 6 Outubro, 2008 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Pra mim é tiro no pé. Curitiba está entre as cidades de mais alta renda per capita do país. Praticamente todo mundo tem pelo menos uma bicicleta na garagem, mesmo que esteja abandonada. Ou seja, definitivamente não é por falta de bicicleta que o curitibano “não pedala” – e olha que pedala sim, se bobear tem mais ciclista do que motorista.

      E tem outra… além do desperdício de dinheiro público, a falência na implantação de um sistema como esse somaria vários pontos negativos à causa cicloativista, funcionando como um forte argumento contra.

      • Rafael Madeira 13:30 on 12 Outubro, 2011 Permalink | Inicie a sessão para responder

        Sou turista, hoje estava pesquisando onde alugar uma bicicleta para conhecer Curitiba, ou mesmo andar pelo Barigui com Bike. Será ótimo que Curitiba implante um sistema desse com ja é uma Cidade referências já deveria ter essa bike para alugar.

    • Macaco 11:42 on 6 Outubro, 2008 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Eu usaria sim. O problema é que São Paulo é uma cidade cheia de ladeiras, e pra eu ir trabalhar de bike – e eu já tentei isso várias vezes – ficaria suadão. Em Curitiba, cidade mais plana, alugaria numa boa.

    • divo 14:22 on 6 Outubro, 2008 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Eu não usaria, pois tenho a minha bike, da qual não desgrudo e está customizada do jeito que eu quero.

      Se for um empréstimo grátis, ou com custo muito baixo (R$ 0,50), poderia até ter demanda, do contrário com disse o Gunnar é tiro no pé (ou no pedal). Mas como os egocêntricos da prefeitura adoram um marketing, não podemos de entender que irão instalar um programa desses pra revender suas imagens na embalagem de mobilidade limpa. Hipocrisia pura.

    • Pinduca 16:57 on 6 Outubro, 2008 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Acho que o que deveria ser levado em conta, é o objetivo do projeto e para qual público ele seria direcionado…

      Se o objetivo for desafogar o trânsito, o recomendável seria a estipulação de um perímetro a partir do centro da cidade, onde prevaleceria o conceito de “traffic calming”, deixando o trânsito de carros mais lento e, por conseqüência, ruas mais seguras para o transporte de magrela.

      Seria mais ou menos assim: quer ir ao centro de carro?
      OPÇÃO 01: Seguir de carro dentro deste perímetro, mas se submetendo à uma velocidade super moderada.
      OPÇÃO 02: Seguir de carro até o limite do perímetro de “moderação de trânsito”, deixar o carro em um estacionamento, onde então, haveriam estações de aluguél de bikes para a locomoção dentro deste mesmo perímetro.

      Pra mim, esta seria uma boa alternativa, pois se já é complicado e de certa forma arriscado andar de bike pelo centro da cidade, imaginem o mesmo cenário somado às bicicletas de aluguél.
      Estariamos incentivando e injtando mais ciclistas no trânsito, com o mesmo volume de carros e o mesmo despreparo dos motoristas.

      Enfim… a idéia é ótima e é muito bom que isto seja colocado em discussão.

    • meandros 17:32 on 6 Outubro, 2008 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Particularmente não utilizaria (ou utilizaria pouco) porque moro no centro da cidade. Mas vejo como um bom incentivo para vir até o centro da cidade de ônibus e fazer então os pequenos trajetos pedalando.

      Mas é evidente que para funcionar a estrutura cicloviável deve ser melhorada. E muito.

    • Simone Maurina 18:35 on 6 Outubro, 2008 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Olá,
      no link abaixo, um “olhar” sobre o dia Mundial SEM carro.
      Observem a expressão facial das pessoas.
      http://diamundialsemcarrocuritiba2008.wordpress.com/
      Boa história prá vcs.

    • Lia 20:01 on 6 Outubro, 2008 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Como eu tenho minha bicicleta, que uso diariamente, provavelmente não usaria as bicicletas públicas, ou usaria muito pouco, quando eu saisse de ônibus. Para isso as bicicletas precisariam estar localizadas em pontos estratégicos (para integração com transporte público).
      Acho que em Curitiba muita coisa ainda precisa ser feita antes de se estabelecer um sistema como esse, como outras medidas para dar oportunidade, segurança e conforto para ciclistas que gostariam de usar a bicicleta diariamente mas ainda não fazem, e para os que já usam, mas partem em uma aventura diária para isso.

    • Vinicius 20:16 on 6 Outubro, 2008 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Não acho certo incentivar uma prática que não dê segurança. Quem sabe se cuidar um pouco melhor no trânsito, com certeza já possui bicicleta. Alugar para pessoas que pretendem mudar um pouco seus hábitos e não dar uma melhor infra-estrutura antes de promover o aluguel é um pouco de hipocrisia mesmo, não?

    • Gunnar 09:51 on 7 Outubro, 2008 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Concordo com Vinicius e Lia. Há muita, mas MUITA coisa a ser feita em termos de ciclomobilidade antes de implementar um sistema como esse. É uma questão de prioridades (o que realmente está faltando para fazer o curitibano pedalar mais?) e também, principalmente, de viabilizar o projeto (não funciona se outras coisas não forem feitas antes).

    • Andre Luiz 10:24 on 7 Outubro, 2008 Permalink | Inicie a sessão para responder

      De que adianta alugar bicicletas, se o transito te come vivo, muitos vão desistir na primeira vez, ao perceber a agressão do trânsito. Primeiramente é preciso dar espaço ao ciclista, melhorando a infra-estrutura, com ciclo-faixas exclusivas, campanha de educação, placas, ciclovias, assim como é em Bogotá e outras cidades na Europa por exemplo. Sem espaço para andar nas ruas não dá pé. É como foi dito acima, naum é por falta de bicicletas, quase todos tem uma, é falta de coragem para andar nesta selva dominada pelas máquinas e motoristas mal educados e agressivos. É preciso alertar o prefeito qto a isso. Senão só vai ser desperdício de tempo e dinheiro num projeto. PRIMEIRO CICLOFAIXAS, CICLOVIAS, INFRA-ESTRUTURA E CONSCIENTIZAÇÃO.

    • Luis Patricio 10:49 on 7 Outubro, 2008 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Muito boas as observações pessoal.

      Além dos requisitos que muitos citaram, o Pinduca falou um negócio interessante. Pensar as bicicletas públicas com integração aos ônibus e até mesmo aos carros.

      Em reunião com funcionários da URBS e do IPPUC envolvidos no projeto, foram levantadas essas questões.

      Encaminhei o link desse artigo para eles. Espero que participem da nossa conversa por aqui também. Acho que isso poderia enriquecer bastante a discussão.

      Segue um artigo sobre a bicicleta como meio de transporte. Onde é citado o sistema de bicicletas públicas dentre outras soluções: http://mwglobal.org/ipsbrasil.net/nota.php?idnews=4193

    • gustavo 15:32 on 26 Outubro, 2008 Permalink | Inicie a sessão para responder

      aluguér de bike em curita

      http://www.mapia.com.br/curitiba/index/Lazer/Aluguel%20de%20Bicicleta

      é particular e tal, mas achei isso na net agora.

    • Luis Patricio 17:42 on 27 Outubro, 2008 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Esse tipo de aluguel é algo completamente diferente.

      Você aluga e devolve no mesmo lugar. Não é uma alternativa de transporte ao público.

      Mas serve como dica de lazer para alguém que talez precise de uma bici em cima da hora e esteja por perto do local.

    • Nitai Bezerra 18:59 on 10 Dezembro, 2008 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Transporte público, uma solução comum que favorece a maioria. Vejam o que estão fazendo para melhorar o nosso sistema de transporte público. http://www.onibusrecife.com.br

    • Odette 17:01 on 7 Janeiro, 2009 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Implantar um sistema de bicicletas de aluguel em Curitiba seria muito bom, pois existem turistas esportivos que agradeceriam a possibilibade de conhecer a cidade utilizando a bicicleta. Também é necessário que se tenham vias apropriadas, que sejam seguras no transito de carros. Ou melhor que as ciclovias sejam separadas das ruas. Exemplos de sistema de aluguel que está dando certo é em Bruxelas.

    • Luis Patricio 09:15 on 9 Janeiro, 2009 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Exatamente Odette. O sistema sozinho dificilmente vingará sem infraestrutura adequada.

      E um ponto que precisa ficar bem claro é que o público alvo, a princípio, não é o turista, mas o próprio curitibano.

      Esses são alguns dos motivos apontados pelo fracasso em Bruxelas.Tem inclusive um link no começo do artigo.

    • Roberto Ghidini 11:31 on 9 Janeiro, 2009 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Olá amigos “ciclistas”.
      Há que ficar claro algumas coisas com relaçao aos sistemas de “empréstimos” de bicicletas, dos quais, vou comentar o de Barcelona (bicing) que conheço um pouco:

      1º) Nao se destina a turistas e sim exclusivamente a moradores;
      2º) Tem que ser integrado com o transporte público;
      3º) Depende de uma série de outros investimentos paralelos.

      Respeito a Curitiba, em uma pesquisa do prof. Fábio Duarte, ficou constatado que nos terminais de ônibus, somente em 27% deles existe uma ciclovia adjacente (menos de 200m) e em 27% dos terminais, existe um bicicletário e ainda por cima, nao necessariamente coincidem os dois casos (ciclovias e bicicletários).

      Assim, que vejo, o sistema de aluguél de bicicletas, como muitos outros “programas” curitibanos, ploiticagem e má inversao do diheiro público, se nao forem tomadas medidas que favoreçam a mobilidade sustentável como um todo: Transporte Público (licitado evidentemente), Rede de Ciclovias adjacentes aos terminais e pontos de “empréstimo” de bicicletas integrados aos terminais e locais de intenso movimento de pessoas (praças centrais, universidades, shpping, etc…).

    • Roberto Ghidini 11:41 on 9 Janeiro, 2009 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Em tempo: –

      Ratificando o comentário anterior, quando mencionamos o trabalho do prof. Fábio Duarte, dissemos que em 27% dos terminais teem bicicletário quando na verdade a informaçao correta sao 23% (vinte e treis por cento).
      Assim em 27% dos terminais, existe uma ciclovia adjacente e em 23% deles existe um bicicletário e nao necessariamente coincidem.

      atenciosamente,

      RG

    • Luis Patricio 10:41 on 12 Fevereiro, 2009 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Pois é Roberto,

      Tacitamente não existem bicicletários nos terminais.

      As barras de ferro(ops, bicicletários…) ficam instaladas fora do terminal exposto as intempéries e às vezes em locais mal iluminados e sem segurança.

      No terminal Capão da Imbuia, por exemplo, foi pregado uma tábua em cima e hoje serve de banco para o ponto de táxi.

    • Noe 12:09 on 12 Fevereiro, 2009 Permalink | Inicie a sessão para responder

    • jotta 23:58 on 1 Abril, 2010 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Ola pesoas conectadas.
      Sou de curitiba mas vivo atualmente em londes, aki os “caras” da politica uma verdadeira maravilha! Para quem rodava em curita nas canaletas e totalmete frenetico em meio aos carros do centro. Aqui a historia e ourta, tem via compartilhada a rodo, sinalilacao((por favor em curitiba exclusiva para ciclistas ))vejam london cycle network, isso nao seria demagogia para com a populacao.aqui o ciclista tem regras anda com capacete,luz,jaqueta ou colete refletivo. Na sua maioria dos ciclistas do cotidiano. Usuario de verdade, gente de terno em bike dobravel,gente de todo tipo e faixa etaria.

    • vanderlei 15:53 on 28 Dezembro, 2010 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Curitibanas e curitibanos,

      Sou paulistano e visitarei essa cidade no mês de janeiro, e pediria a gentileza de indicarem lojas ou empresas que alugam bicicletas.
      Muito obrigado.

    • vanderlei 09:21 on 29 Dezembro, 2010 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Oi Luis Patricio, muito obrigado pela dica. Vou visitar a página e continuar pesquisando se existem outras lojas.
      Caso venha a São Paulo algum dia, a minha dica é o Parque do Ibirapuera. Lá estão instaladas próximas ao antigo prédio do Detran duas empresas especializadas apenas em locação de bicicletas.
      Até mais.

      Vanderlei

    • Fernando Barra 08:00 on 21 Maio, 2011 Permalink | Inicie a sessão para responder

      SÓ PARA AVISAR, O SISTEMA FRANCÊS COPIOU O SISTEMA CATALÃO DE BARCELONA E NÃO O CONTRÁRIO! QUEM LANÇOU ESSA MODA PELO MUNDO FOI BARCELONA!

  • bicicletadactba 11:47 on 28 April, 2008 Permalink |
    Tags: , , transporte   

    Vou de táxi 

    Luis Patricio e seu Ciclotáxi na bicicletada do último sábado (26.04.2008).

     

    Foto de Andé Luiz.

     
c
Compose new post
j
Next post/Next comment
k
Previous post/Previous comment
r
Responder
e
Editar
o
Show/Hide comments
t
Go to top
l
Go to login
h
Show/Hide help
shift + esc
Cancelar
%d bloggers like this: