O QUE É ARTEBICICLETAMOBILIDADE

O ArteBiciMob é uma mídia livre em forma de festival. Pensamos a mídia em um  conceito expandido. Promovido desde 2007, as ações utilizam diversos meios para comemorar a retomada da cidade para as pessoas, porêm atividade mais importante  é celebração da organicidade das relações coletivas. Setembro, primavera no hemisfério sul, foi escolhido por conta da semana do trânsito como o  mês que concentra o discurso do artebicimob, ações espalham-se pela cidade de Curitiba se organizando sob calendário oficial aberto a colaborações da comunidade. De forma crescente, as atividades livres e autorais eclodem pela pólis e se intensificam até o seu auge, 22 de setembro, Dia Mundial Sem Carro, com elementos socio-culturais que fornecem a seu público o escopo do pensamento sobre a ciclomobilidade e toda a imagem que vem junto a este modal.

Atualmente, o Arte Bicicleta Mobilidade é um coletivo que possui membros concentrados principalmente em Curitiba, mas também espaçados nas cidades vizinhas e interior do estado do Paraná, alguns focos em Porto Alegre, Florianópolis, Belo Horizonte e São Paulo. A ideia geral do coletivo e do festival ArteBiciMob é de unir grupos em atividades criando um fluxo de informações focado em difundir a idéia da bicicleta como um dos meios de transporte mais interessantes para se interagir nas cidades. O público-alvo do ArteBiciMob são todos os cidadãos, envolvidos pelo pensamento poético sobre a cidade e suas relações de fluxo. São fruidores de arte, interessados em desvendar a paisagem da pólis e usuários de mobilidade no seu amplo espectro.
O conteúdo proveniente dos 9 anos de atividades do ArteBiciMob e sua rede de artistas, fotógrafos, pensadores, jornalistas, técnicos e videomakers é compartilhado principalmente em um site com características de blog, o artebicimob.org. Um domínio próprio adquirido em 11 de fevereiro de 2011 anteriormente  existente como artebicicletamobilidade.wordpress.com. Os posts são feitos pelos integrantes do coletivo e formam um grande repositório de todas as mídias produzidas pelo grupo: cartazes, ilustrações, registros fotográficos e videográficos das ações e performances, calendários dos eventos, artigos e informações em geral. O período de maior produção e, consequentemente, de visitação, é o mês de setembro, quando ocorre a ativação mais profunda do alcance da rede para a realização do festival.

A mobilidade no seu mais amplo aspecto, o fluxo cotidiano das cidade, o transporte da matéria, da informação, da voz e das idéias. As novas formas de se relacionar com a cidade, parte da maneira como cada um se desloca por ela. Conceituamos que os meios transporte podem migrar para um campo poético, do devaneio e da subversão aos acordos pré-estabelecidos dos fluxo de mercadorias. Podemos pensar a cidade como frisava a máxima de Gui Debord (2003): “Precisamos passar do trânsito como suplemento ao trabalho ao trânsito como prazer.” Entendemos que é possivel uma retomada do espaço comum da cidade considerando grupos historicos que nos inspiram e influenciam, como  Provos e Internacional Situacionista, também os ajuntamentos contemporâneos como o Coletivo CRU, Bijari, Coletivo Nuvens e Coletivo Poro. Somos nowtopians, ou seja, aqueles a quem Chris Carlson (2014) nomeia como permacultores, hortelões e jardineiros urbanos, hackers, desenvolvedores de software livre, cicloativistas, recicladores e fuçadores.

 

CARLSON, Chris. Nowtopia: iniciativas que estão construindo o futuro hoje. Porto Alegre: Tomo Editorial, 2014.

 

DEBORD, Gui. Apologia da Deriva – Escritos situacionistas sobre a cidade. In: JACQUES, Paola B. Internacional Situacionista. Rio de Janeiro: Ed. Casa da Palavra,

A gestão do ArteBiciMob reúne influências dos conceitos de autogestão, das práticas libertárias e da cultura colaborativa. A cada edição do evento, o coletivo Arte Bicicleta e Mobilidade faz um convite aberto à comunidade em uma convocação para participação do mês oficial da Bicicleta, o mês de Setembro. Faz parte das chamadas no site artebicimob.org expressões como “colabore criando um evento para ser integrado ao calendário oficial do Mês da Bicicleta.”.

O espírito de conscientização e cidadania é incentivado, e a responsabilidade da proposta é inteiramente do proponente, que deve garantir a realização do evento bem como suas consequências. Assim, o coletivo Arte Bicicleta Mobilidade opera como um ecossistema vivo, um mediador e impulsionador do protagonismo social para a mobilidade, a fruição da arte e do sentimento de pertencimento do cidadão na esfera pública.

Após o surgimento da Bicicletaria Cultural em 2011, localizada no centro histórico da capital paranaense, o movimento se articula principalmente através deste espaço, e nele propicia a arte dos encontros. Assim, é na Bicicletaria Cultural onde normalmente ocorrem as reuniões e onde se recebem as comitivas estrangeiras para dividir experiências, é onde acontecem as reuniões extraordinárias e onde os diversos elementos e seus conflitos se encontram, pois ali se tem uma casa de todos.

Tradicionalmente os meses que antecedem Setembro são os mais ativos para o coletivo, pois é quando são ativadas diversas iniciativas populares e institucionais, todas juntas vão convergir e tecer mais uma edição do ArteBiciMob. Um acontecimento que vem se expandindo e se descentralizando, alcançando assim novos conectores e se interligando com outros movimentos irmãos que tem setembro/primavera como época de congregação sobre o trânsito e a mobilidade.

O ArteBiciMob, alimenta uma coletividade que se insipira para praticar a cidade. As ações que integram as festividades de Setembro, fluem pelo imaginário social da cidade. conquistam o  interesse espontâneo das rádios, tevês e jornais, do engajamento das universidades e da promoção da  própria prefeitura ( nestes últimos anos), o governo estadual do Paraná reconhece esta ação através da lei número 17.385/2012.

Esta manutenção do imaginário poético do locomover urbano, é ativado pelos acontecimentos e interferências urbanas e urbanísticas populares, estas redefinem novas possibilidades de mediar a cidade.

Nossa equipe é multidisciplinar com filósofos, escritores, jornalistas, técnicos arquitetos, urbanistas, engenheiros e artistas, é polifônica pois tem integrantes do poder público comissionados e eleitos,  professores pre-escolares e superiores, mestres e doutores, poetas e diletantes. Tem em comum interesse pelo pensamento sobre a cidade e seus fluxos e trazem um elogio a bicicleta. Sabem do poder transformador da arte e do desafio de cohabitar os centros urbanos. O grupo atua em arranjo orgânico, ora se flocando em ações pontuais como a Marcha das Bicicletas, ora trabalhando em celulas adormecidas nos periodos que antescedem setembro

Com uma descrição linguística popular e acessível, o ArteBiciMob se aproxima de uma catalogação arte/vida. A atividade socio-cultural se desenvolve pelo cultivo de um corpo coletivo interessado na gramática dos fluxos da cidade. Trabalhar com o espaço público é falar pelo caminhar, a linguagem da cidade é a locomoção, o trabalho com arte-urbana se dá pela  apropriação da superficie da cidade. Na esfera pública o ArteBiciMob se relaciona com a estética política,  ilustrando a relaçào de poder.

A música, por exemplo, é uma das mídias, pois é o meio utilizado para tirar as pessoas da bolha. O desafio intermodal também, pois não é uma competição, mas uma mídia, um meio de comunicação diferenciado que se propõe a difundir em tempo real a avaliação dos meios de transporte mais eficientes em nossa cidade. E assim por diante, o artebicimob inteiro é meio, é só apurarmos o olhar para perceber este potencial midiático imenso inserido em seu contexto.

Entre as plataformas midiáticas, o primeiro nivel é o chamamento público, a ativação da rede e a comunicacao cruzada entre grupos de trabalho. o segundo nivel, é uma interface, o calendario, onde os elementos da rede lançam suas propostas de ação. No calendario também acontece a ligação entre os atores e receptores, em busca de informações sobre o cronograma do festival. Em terceiro há uma cachoeira de acontecimentos. Cito o Música para Sair da Bolha (happening em cruzamentos movimentados na hora de pico) onde a música de rua, a dança e a aglomeração são o meio  e a mensagem é clara – Saia da Bolha.

O Desafio Intermodal (competição midiática, televisionada para apresentar o melhor veículos para a cidade) é um acontecimento que se repete anualmente divulgando em mídias de massa o melhor veículo para trafegar nos grandes centros.

O ciclo de performances : Tática de Sobrevivência em Cruzamentos, Derrame de Tinta e Orquestra Ciclofônica. São praticas de corpo e mídia.

O  Ciclecine (festival de filmes sobre mobilidade) funciona como uma cinejornal audiovisual, apresentando novidades e variedades em produções locais e internacionais. A mostra LambeLambe tem como meio a superfície da cidade e a mensagem está no recriar dos processos de produção, na  distribuição  e aglutinagem de cartazes nas paredes dos centros urbanos.

O circuito de palestras, discussões e conferências virtuais  trazem a oralidade com toda a sua carga humana.

Das Plataformas digitais: O blogue apresenta os conteúdos já produzidos e informa sobre as proximas atividades é o primcipal  canal de comunicação na grande rede. em sua página inicial está  a agenda publica. Atualmente contamos com site em domínio próprio  http://artebicimob.org, com postagens que são mais intensas no mês de setembro de cada ano. Os posts são replicados para o perfil do ArteBiciMOB no Facebook https://www.facebook.com/artebicimob que hoje conta com quase mil seguidores nativos.

O canal de videos está pouco atualizado mas possum um pequeno video-clube de materiais audiovisuais que foram curados durante os Ciclecines dos anos passados.

A lista de discussão está em um servidor livre mantido pelos generosos pássaros do riseup.net

Estas mídias responde pelo crescimento de uma comunidade que evoca a nova cidade. A questão da mobilidade humana é um assunto comum em todas as culturas, principalmente na vida urbana onde passamos numerosas horas de nosso dia em trânsito.

Em 2011 fizemos a primeira publicação impressa, o livro-catálogo MOB, viabilizado por ocasião da exposição realizada no Museu da Gravura de Curitiba. O livro-catálogo contou com 2.000 impressões, foi distribuído gratuitamente aos visitantes e também pode ser acessado na web por meio do link:  http://issuu.com/pedrogiongo/docs/mob.

O ArteBiciMob tem como característica principal a abertura das proposições para o engajamento coletivo , com o  sistema do evento  apoiado na livre participação durante  todas as etapas da organização. Através de um formulário do Google compatilhável é possivel qualquer pessoa ou instituição inserir um evento no programa do festival.  Mais do que isso, torna-se necessário que o público interaja efetivamente, propondo, projetando, produzindo e acompanhando as atividades. Um cartaz/poster/calendário é produzido pelo coletivo e tem a distribuição gratuita. Toda a plataforma é aberta desde as reuniões públicas, aos diretórios de repositório digital e na informação da programação.

A ferramenta do Google Drive é bastante utilizada para compartilhamento de arquivos no âmbito do coletivo, Para produções textuais utilizamos o Googledocs, os cartazes e demais processos decisórios também. O formulário do Google também já foi amplamente utilizado por nós para enquetes e planejamento das ações a serem realizadas durante o ArteBiciMob. o Hangout do Google também funciona como uma ferramenta para a aproximação de atores distantes em falas transmitidas ao vivo. Para a relação com o públicodirecionado o Facebook tem sido uma importante ferramente da disseminação das informações e de interação através dos comentários e compartilhamentos. Uma Lista de discussão Rise-up é utilizada para criar um forum entre os participantes do ArteBiciMob.

Outras ferramentas expandidas são A Música que é utilizada na Músicas para Sair da Bolha , onde há um chamado para a  celebração. O material audiovisual é utilizado para trazer as novidades de outros cantos do globo e fomentar a produção local deste tipo de material. As bicicletadas são como grandes “fashmob´s”, onde as pessoas são convidadas a integrar  um ajuntamento, uma massa crítica festajando a tomada das ruas. Na ocupação do espaço publico com as vagas vivas o espaço de convivência das cidades é explorado como um lugar de estar, não só de passar.

A utilização dos modos de apropriação das midias sociais aconteceu até então  de maneira pouco explorada, com poucos anúncios pagos , o ArteBiciMob, goza de midia espontânea e alcance orgânico. Nesta edição 2015 iremos experimentar  patricinamento de publicação em um valor mínimo. Também usaremos um hashtag #artebicimob15, e uma presença digital mais elaborada.

No blogue temos um acesso  total de 95.105 visualizações nestes 9 anos. No mês de setembro acontece um salto em acessos, mas o dia 22 concentra a maior quantidade de cliques do ano chegando ao numero de 968 visualizações. No dia 22 disponibilizamos no sitio o mapa do roteiro da da marcha das duas mil e quinze bicicletas, onde a grande coletividade da bicicleta se congrega em um ato grandioso.

Abrimos nossa conta no Facebook em 25 de julho de 2013 e atualmente contamos com uma base de 987 seguidores, ainda nao fizemos anuncios patrocinados.

Durante o evento de setembro os cartazes são em mpressos em 5.000 cópias e rapidamente distribuidos.

O Fanzine foi criado em 2007, foi impresso 50 unidades em técnica de impressão eletrostática e distribuido durante a abertura do festiva. O Livro MOB foi finalizado em 2011, com 22 páginas coloridas impressas em offset 4X4, foi  distribuido 2.000 unidades. Todos os anos tiveram cartazes alusivos a edição do evento sempre com tiragem superior a 300 unidades os cartazes variaram desde pequenas folhinhas de calendário a grandes cartazes frete e verso tamanho A2. Existiu neste periodo a produção de bandeirolas, camisetas e adesivos. Outra publicação a ser citada são os posts, nosso blogue conta com  350 postagens.

Inicialmente são feitas chamadas públicas, e  convites são enviados nominalmente para artistas pesquisadores, professores e entidades-chave. Outra metodologia é a indicação boca a boca, onde são apontados elementos que estão próximos ao assunto. Também é tentado uma aproximação institucional com prefeitura e secretaria municipal de cultura, onde acontece apoios atraves da sessão de espaços e divulgação. As universidades tem papel fundamental, onde professores abraçam a causa e provocam seus alunos a desenvolver ideias sobre mobilidade na época do ArteBiciMob.

O ArteBiciMob é um festival que tem suas raízes no coletivo de artistas chamado Interlux ArteLivre, que realizou em 2007 a primeira edição envolta a uma exposição. Neste primeiro ano houve uma aproximação entre artistas e atores do movimento cicloativista local resultando na formação de outros grupos como “O Transporte Humano” e o próprio “CICLOVIDA” como um departamento multidisciplinar de extensão da UFPR. Em 2010, conquistamos um edital de ocupação de espaços junto a Fundação Cultural de Curitiba e apresentamos uma mostra intitulada MOB, curadoria orgânica com a expressão e apresentação de 23 artistas. Durante a mostra MOB aconteceram diversas ações, entre elas a fundação da Associacão de Ciclistas do Alto Iguaçu – a CicloIguaçu.

Após 6 anos interruptos de produção do festival ArteBiciMob, um deputado estadual pôs em votação uma lei ordinária que sancionada reconhece setembro como o Mês da Bicicleta não só em Curitiba, mas no Paraná inteiro. É a lei número 17.385/2012 que afirma . . .passará a constar no Calendário Oficial de Eventos do Estado do Paraná.,  objetivando mobilizar o Poder Público, iniciativa privada, comunidade acadêmica, escolar e outros segmentos organizados da sociedade que, juntos, concentrarão esforços no desenvolvimento de atividades, ações e campanhas que esclareçam e incentivem o uso da bicicleta como meio de transporte eficiente e sustentável. . . .

No ano de 2011 surgiu um empreendimento na Cidade de Curitiba que atualmente é premiado pelo governo da Suécia como uma das 15 melhores ideias para ocupar os centros urbanos, trata-se da Bicicletaria Cultural, uma iniciativa de grande impacto social e na economia criativa, centro do movimento cicloativista da cidade e sede do maior evento de performance arte do país o P-Arte.

Em 2014 o trabalho coletivo conseguiu trazer para Curitiba o maior evento de cultura da bicicleta do mundo o Fórum Mundial da Bicicleta, com êxito de organização, o evento foi um sucesso. Neste mesmo ano, em frente a Bicicletaria Cultural, o coletivo responsável pelo mês da bicicleta e populares, edificou uma praça pública ao molde do “place making” chamada Praça de Bolso do Ciclista . Atualmente este é o coração da diversidade  na capital paranaense,  lugar das trocas humanas e reconhecido com um local de diálogo no âmbito da cidade.

Inova pela forma se organizar em redes orgânicas e celulares. Pela diversidade de ações socio-culturais, que vêm construindo uma escultura social em Curitiba e agora tem a possibilidade de expansão para o estado do Paraná. Apresenta uma forma de trabalhar interagindo com a cidade e seus fluxos. O ArteBiciMob inova ao utilizar como meio a pólis e a mensagem ser direta e poética comum a todos. E tudo acontecer envolto a uma celebração, um festival reunindo um coro de artistas e pensadores que se debruçam sobre o assunto.

Desde 2007,  o ArteBiciMob transforma o mês de setembro em Curitiba com a proposta de promover atividades que repensem a mobilidade urbana e condensem a cultura da bicicleta em um mês. Estas ações vem criando uma cadeia de iniciativas, tanto particulares, como coletivas, é o caso da  criação de atelier colaborativos, cafés, lojas, empreendimentos comerciais e  coletivos artísticos.

No campo da politica pública a Secretaria de Cultura já reserva os equipamentos públicos para ações do Mês da Bicicleta, como o caso da  Cinemateca de Curitiba, o Museu da Gravura e Museu da Fotografia Cidade de Curitiba. O ArteBiciMob conquistou um diálogo entre as secretarias, como a da Secretaria de Trânsito com a Secretaria do Esporte e Lazer. Ano após ano as Universidades vêm criando ações para o Mês de Setembro como o caso da PUC, Uniandrade, Colégio Paranaense, UTFPR, Escola de Música e Belas Artes e Faculdade de Cinema do Paraná.  Durante o ArteBiciMob foi  criado um movimento cultural, o Musicletada –  seu  braço dos shows musicais.

Acreditamos que a cidade é esculpida ano após ano com o ritmo do festival. Seu tecido de atividades é composto de debates, rodas de conversa, exibição de filmes, shows de música, exposições de artes visuais, performances e debates. A bicicleta é o conceito-chave deste evento, pois, além de proporcionar o contato com o corpo, a livre experimentação, a descoberta da cidade e o reconhecimento do novo; também é carregada de simbolismos múltiplos: auto-propulsão, autonomia, limpeza energética. Ideias desejados para a nossa cidade.

Como resultado mais que concreto das ações dos artistas e ativistas da capital paranaense, o mês de setembro foi  oficializado no calendário do Paraná conforme descrito na lei número 17.385/2012. (…) passará a constar no Calendário Oficial de Eventos do Estado do Paraná.,  objetivando mobilizar o Poder Público, iniciativa privada, comunidade acadêmica, escolar e outros segmentos organizados da sociedade que, juntos, concentrarão esforços no desenvolvimento de atividades, ações e campanhas que esclareçam e incentivem o uso da bicicleta como meio de transporte eficiente e sustentável(…)”.

Há perspectiva de continuidade desta iniciativa pelo amplo engajamento conquistado ao longo dos anos pelo envolvimento de pessoas comprometidas com a causa da mobilidade e por ter apoio de várias instituições parceiras, tais como:  Prefeitura Municipal de Curitiba, Fundação Cultural de Curitiba, Secretaria de Trânsito, Secretaria do Esporte e Lazer, Universidade Federal do Paraná, Imprensa Oficial, Programa CICLOVIDA, Federação Paranaense de Ciclismo, Grupo de Transporte Humano , Instituto de Energia Humana, Associação de Ciclistas do Alto Iguaçu, Bienal de Artes de Curitiba, Fórum Mundial da Bicicleta, Swe Institute , Instituto Legado, Aliança Empreendedora, Instituto Curitiba Cidadania, Fecomércio / SESC.

Neste cenário de continuidade, o alcance pode ser mundial, já que nesta época acontecem semana temática do trânsito em todas as cidades do mundo, e nossa proposta é trazer uma abordagem artística para o pensamento acerca da mobilidade. Atualmente contamos com um evento 100% realizado a base de apoios, desde a impressão de materiais da UFPR, empréstimo de materiais e seções de espaços e equipamentos públicos.

A mobilidade é o grande paradigma de nossa era, o transporte das ideias, de nossa fala e de nossos corpos; e se constitui uma grande parcela de nosso tempo de vida. Fomentar o pensamento por meio dos canais do ArteBiciMob é uma estratégia para possibilitar uma maior consciência sobre a energia humana e sua capacidade de se transportar com autonomia. Há um estímulo constante do ArteBiciMob na busca da cidade como suporte para suas manifestações e pluralidade de intervenções, fortalecendo assim o direito à cidade e a apropriação cultural dos espaços públicos.

Compreendemos que estimular a sensibilidade para a leitura da cidade é fundamental para a construção de uma sociedade mais justa e igualitária, pois a mobilidade que defendemos não é excludente e nos coloca a plenos pulmões para o exercício da tolerância à diversidade cultural, religiosa e de gerações, sendo a diversidade uma premissa propagada pelo coletivo.

Durante o Festival ArteBiciMob, acontecem diversos encontros e oficinas. Como a oficina de “Construção de Veículos Fantásticos”, deixando uma liberdade poética para a criação de novos veículos, desde pequenas maquetes, protótipo a mocapes funcionais. Para isto utilizamos materiais ordinários.

Outro exemplo é a “Vivência de arte gráfica na técnica da serigrafia:  faça você mesmo”, que instrui sobre o processo serigráfico e a estética da técnica gráfica, direcionado para crianças estimulando a produção alusiva ao tema do festival. Há também cursos de capacitação para geração de renda como o “Curso de Arte Mecânica de Bicicletas” e o “Curso de Construção de Alforjes”, ambos de curta duração e  introdutórios com a possibilidade de profissionalização.

Sentimos o mês da bicicleta em Setembro como uma construção comum. em breve esta onda em crescimento será celebrada como uma rede mundial

Fernando , Rafaela e Fabianne

agosto2015

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s