vestido azul

vestido azul

desde a primeira vez que a vi,
ali,  junto com as outras amigas estacionadas.
fui atraido pelo seu corpo esguio, seu desenho.
pedi lincença, e a chamei para a dançar.
peguei em seu guidão, meus dedos envolveram sua manopla,
o corpo de metal gelado e o meu eram como um só,
ela tinha um selim macio,
quando me soltei do chão, a música começou.
suas fitas azuis balançavam no vento,
pareciamos feitos um para o outro,
enlaçados em um baile sem fim, sem fim como um circulo sem fim como o globo, estavamos unidos para rodar.
desde de então, eu e ela nunca mais nos separamos.
quando viajamos por estradas sem fim, montamos campi selvagem,
eu e ela sob uma infinidão de estrelas no cozmos das nossas vidas
cansados se recolhemos na barraca, a-trago para dormir junto a mim.

aquarela: mmmnha
www.flickr.com/photos/mmmnha/

Anúncios

Um comentário sobre “vestido azul

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s