Amanhã é dia de ação!!

 

Nas palavras de Herman Hesse:

 

“Vi-me atirado num mundo ruidoso e excitante. Nas ruas, os automóveis, meio desgovernados, davam caça aos pedestres, esmagando-os sobre o solo ou contra as paredes das casas. Compreendi em seguida: era a luta entre o homem e a máquina, preparada há tanto, temida há tanto tempo, que por fim havia estalado . . . em todos os muros havia cartazes selvagens, magníficos, instigadores, pedindo à nação, em letras gigantescas que ardiam como tochas, que se colocasse afinal ao lado dos homens na guerra contra as máquinas, que matasse afinal os ricos, os obesos, os bem-vestidos, os perfumados, que com a ajuda das máquinas espremiam a gordura dos demais, e destruísse os automóveis luxuosos, estrepitosos, mal cheirosos, que incendiasse afinal as fábricas e despovoasse e desalojasse um pouco a terra profanada, para que nela voltasse a nascer a grama, para que sobre este mundo de cimento voltasse a haver bosques, prados, urzes, arroios e pântanos.

. . . meditativo e admirado, eu lia os cartazes, os vermelhos e verdes, e suas ardentes palavras influenciavam fabulosamente o meu espírito, sua esmagadora lógica tinha razão, e profundamente convencido, detinha-me ora diante de um, ora diante de outro, sempre perturbado ostensivamente pela abundante fuzilaria que me rodeava.

 

                            . . . alegremente me lancei à luta.”